HI Tecnologia realiza integração entre CLP e sensor de luminosidade

(0 comentário)

"A Engetaurus Engenharia é uma empresa de construção civil atuando em obras indústrias e comerciais, nos diversos estados do Brasil. Com o pensamento voltado para as exigências do mercado, sempre em constante mudança, a empresa tem buscado a qualidade de seus produtos e serviços, a partir de um rigoroso planejamento e acompanhamento de todas as etapas construtivas."

Segundo Luis Fernando, gerente comercial da Engetaurus, "a HI Tecnologia desenvolveu a solução que a Engetaurus necessitava em poucos dias, resolvendo uma grande dificuldade com agilidade e excelente custo benefício."

O show-room construído pela Engetaurus na empresa Saint-Gobain possuia como um dos requisitos de projeto apresentar aos visitantes informações de luminosidade externa e interna que demonstrassem como os produtos da Saint-Gobain controlam a luminosidade da sala. Desta forma, a Engetaurus procurou a HI Tecnologia com a necessidade de integrar o CLP da família P7C aos sensores de luminosidade da Phlips (DUS804C e DUS804C-DALI).

Esses sensores da Phllips, produzidos pela Dynalite, pertencem a uma linha dedicada ao controle de iluminações, automação predial e automação residencial. Eles utilizam majoritariamente um protocolo proprietário chamado DyNet, mas também outros como o protocolo DALI. A HI Tecnologia não possui nativamente nenhum desses protocolos mas nossos equipamentos possuem recursos para que os protocolos sejam implementados com uma aplicação Ladder.

As redes DyNet e DALI

O protocolo DyNet foi desenvolvido pela Dynalite visando justamente a melhor performance em sistemas para o controle de iluminação e automação predial. Segundo informações do site da Dynalite, esse protocolo utiliza mensagens com 8 bytes de dados, transportados através de uma camada física que consiste em uma RS-485 modificada.

Ainda segundo informações do site da Dynalite, cada elemento da rede Dynet tem o seu próprio controlador e segue um modelo de conexão ponto a ponto. A principal vantagem dessa rede é a sua grande resiliência, não há nenhum controlador central, tendo cada componente da rede o mesmo grau de importância. A troca de mensagens entre os sensores e seus controladores são bastante rápidas e robustas, pois são trocadas com o método de “Message on Change”, ou seja, os sensores enviam seus dados apenas nas mudanças de valores medidos, permitindo que mais equipamentos utilizem uma mesma banda de dados. Outra característica importante é que o DyNet não possui nenhum tipo de checagem de erros ou de transmissão, trabalhando sempre no “esforço” máximo de transmissão e re-transmissão.

A rede DALI, também utilizada na integração, se trata de um padrão internacional especificado pela norma IEC 60929 tornando-a, assim, uma rede independente dos fabricantes e com grande intercambialidade e interoperabilidade entre dispositivos de iluminação “dimerizáveis”. Este padrão também foi desenvolvido com o principal intuito de atuar no controle de sistemas de iluminação. É simples e possui uma arquitetura descentralizada, onde a conexão dos dispositivos na rede é feita através de um par de fios (DA+ e DA-), cada um com seu próprio endereço, tendo a disposição no máximo 64 endereços individuais. Os dados da rede são bidirecionais, permitindo não somente enviar comandos aos dispositivos, mas também obter informações sobre o estado dos mesmos.

Com essa pequena introdução a respeito das redes DyNet e DALI, podemos agora passar para a exposição do projeto desenvolvido para a Engetaurus onde os sensores de luminosidade foram integrados ao CLP da HI Tecnologia.

A arquitetura

Para realizar a integração entre o P7C da HI Tecnologia e os sensores da Phillips, foram utilizados os seguintes elementos:

  • 2 sensores de luminosidade da Phillips – Dynalite, um utilizando rede Dynet (DUS804C) e outro, rede DALI (DUS804C – DALI);
  • 1 Gateway DMNG232, também da Phillips – Dynalite, que converte uma conexão DyNet para serial 232;
  • 1 controlador DDBC120-DALI, também da Phillips – Dynalite;
  • 1 CLP P7C, da HI Tecnologia.

O sensor de luminosidade que utiliza o protocolo DALI (DS804C) é ligado ao controlador DDBC120 e o sensor de luminosidade Dynet (DUS804C) está conectado diretamente à rede Dynet. O gateway Gateway DMNG232, é responsável por permitir ao P7C o acesso à rede Dynet utilizando-se de uma conexão serial 232. A arquitetura fica da seguinte forma:

A integração

Como já exposto acima, os sensores funcionam através de duas redes, as quais têm cada uma o seu próprio protocolo de comunicação. Através do software Envision, da Phillips, pudemos comunicar com ambos os sensores, por meio do DDBC120-DALI, e obter os valores de luminosidade medidos. Além disso, o Envision disponibiliza em sua interface os pacotes enviados e recebidos através das redes DyNet e DALI, nos possibilitando conhecer os comandos enviados pelo controlador e a resposta dos sensores, com os valores almejados.

Com essas informações em mãos, foi possível conectar o P7C ao DDBC120-DALI, através do gateway, e estabelecer comunicação com os sensores. Essa comunicação foi feita por meio de um programa ladder que envia os comandos de leitura dos dados dos sensores de luminosidade via ASCII e espera pela resposta. Com o pacote de resposta dos sensores, o programa ainda trata os dados e extrai a informação referente à luminosidade. Dessa forma, se permitiu ao P7C a atuar na rede DyNet e DALI como um elemento mestre.

A importância dessa integração é devido ao fato de o P7C estar fazendo a aquisição de outras informações além da luminosidade, como umidade e temperatura. Estas informações, por sua vez, ficam disponíveis para o sistema supervisório HIscada Pro, que armazena essas informações no banco de dados, para que uma aplicação web as utilize em uma interface com o usuário.

Para entendermos um pouco melhor do que se trata esse projeto de um ponto de vista mais amplo, esse show-room – do qual tem o seu projeto assinado pela empresa EngeTaurus – foi planejado para ser um espaço onde os produtos do grupo Saint-Gobain, pudessem ser demonstrados. Neste espaço há várias seções, e em cada uma delas a exposição de um tipo de produto. E um desses produtos é um tipo de vidro onde a sua “opacidade” pode ser ajustada digitalmente mediante um dímer na parede.

A ideia então é demonstrar para o visitante a diferença entre as condições climáticas do lado externo do prédio e do lado interno. Sensores instalados nos dois locais foram conectados ao P7C, as informações foram disponibilizadas em um banco de dados, utilizando aplicação do sistema supervisório HIscada Pro e um aplicativo WEB(realizando interface com o banco de dados) exibe ao visitante as condições climáticas em uma tela interativa.

Desta forma, se a sua necessidade é acessar dados de uma rede Dynet (ou de outros tipos de redes e protocolos)  e disponibilizar à um sistema de automação, nós temos a solução. Nossa equipe de engenharia pode analisar sua necessidade e projetar uma solução com os nossos produtos.

 

Precisa de solução semelhante? Entre em contato e solicite um orçamento

Compartilhe no Linkedin
Assinar o blog