Pergunta

Em redes 485, qual a vantagem em utilizar interfaces com isolação galvânica no lugar de uma opção sem isolação?

Resposta

Atualizado em Abril 26, 2017, 1:53 p.m.

Em linhas de comunicação RS485, a transmissão dos sinais ocorre através de um par diferencial de fios. Esta configuração aumenta a robustez da rede com relação a ruídos visto que estes incidirão igualmente nos dois condutores e portanto, as variações de tensão causadas pelo ruído são igualmente canceladas.

Para a conexão em uma rede RS485 de equipamentos distantes um do outro (normalmente em painéis elétricos diferentes), cada um deles possui o seu próprio condutor de aterramento. Nesta condição, pode ocorrer uma diferença de potencial entre os condutores de aterramento, e isto pode incorrer em uma diferença de tensão entre os circuitos conectados à rede RS485. Esta diferença de tensão, quando ultrapassa os limites inferiores e superiores de -7V e 12V (segundo a norma RS485), poderá causar danos aos equipamentos conectados à rede, levando à queima das portas de comunicação.

A utilização da uma interface RS485 com isolação galvânica elimina este problema uma vez que, o sinal da rede é isolado eletricamente do resto do equipamento. Desta forma, os potenciais dos componentes internos do equipamento e do driver RS485 se mantém isolados entre si, evitando assim uma circulação de corrente que poderia danificá-los.

Em via de regra, se os equipamentos a serem conectados em rede estiverem em painéis distintos, deve-se utilizar soluções com drivers isolados, deixando as opções sem isolação para serem utilizadas quando os equipamentos da rede estão próximos e conectados a um mesmo potencial de terra.

A linha atual de conversores Serial RS232/RS485 (PMC719) ou Serial/Ethernet (ESC717) da HI Tecnologia possuem sempre isolação galvânica quando equipados com drivers RS485.

Veja também:

ID Pergunta
Assinar o blog